A sinceridade nao deve ser maior que a educaçao. A franqueza é virtude de quem está prestes a morrer.

 E vejo que a espontaineidade gera aversao em muitas pessoas. Salvo as situaçoes onde ela é requisitada ( sendo assim, deixa de ser )  Outro dia recebi uma moça a qual eu gerei uma certa expectativa em começar a ter um caso sério. Foi sério antes de começar. Sou um entusiasta e gosto de transmitir alegria com conhecimento mas tomo muito cuidado para nao soar como euforia pois o rumo do que é trasmitido se perde. Após fazermos um shimeji com shoyu e manteiga  preparar a mesa com carinho e velas aromáticas, nao satisfeitos, fomos comer um sushi na rua. A dita cuja nao parava de observar tudo em nossa volta e nao se atinha a praticamente nada que me esforçava em demostrar e expressar sobre o que já tinha vivenciado. Nuances de desatençao e ao mesmo tempo afirmava com uma certeza que me distancia sobre assuntos pedagógicos. Acredito que quem se prontifica a conhecer alguém nao agiria assim. A sensaçao de decepçao só vem à tona quando notamos o que é em vao dado um esforço notável. Acho engraçado ( repleto de graça, de revelacoes ) , me senti um pouco triste, naturalmente, porém bastaram algumas horas para sentir que este ’em vao’ quem me referi foi de extrema importância. Lembro de um texto do Rubem Alves onde ele tece algumas frases sobre o vazio. ”A vida precisa do vazio:a lagarta dorme num vazio chamado casulo até se transformar em borboleta/ A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida/ Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito/ E as pessoas, para serem belas e amadas, precisam ter um vazio dentro delas/ A maioria acha o contrário; pensa que o bom é ser cheio/ Essas são as pessoas que se acham cheias de verdades e sabedoria e falam sem parar/ São umas chatas quando não são autoritárias/ Bonitas são as pessoas que falam pouco e sabem escutar/ A essas pessoas é fácil amar / Elas estão cheias de vazio.” É exatamente isto! Evito julgar. Tenho vivido experiências extremamentes válidas neste sentido. Vigilante incessante de meus pesamentos sou. E, neste contexto, o autoconhecimento, acredito eu, se dá através do próprio esquecimento. concluir se eu Como se preconiza na filosofia budista a qual tanto admiro. Para fosse sincero nao haveria cortesia. Se após tantas tentaivas de agradar e ser gentil nao fosse correspondido haveria despedida sem me retratar. Mas ficou só no ” Depois comemos uma rabanada” Fiquei rindo sozinho. Continuo vivo e evito ser franco nestas ocasioes. Pra quem gosta de ler e saber está aí.. Nesta época gosto de andar pela ruas vazias de Brasília descendo ladeiras com meu skate. E RAM que RAM!  A memória é nossa e quem constrói somos nós. Nós de nós mesmos! Que venha 2014!

Advertisements

About guscappelli

Efervescência pensante, professor de matemática que na medida do possível, entusiasma senão entristeço mesmo. Dado a dificuldade do domínio e da exemplificação desta ciência que é tabu para muitos.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s